sábado, 13 de abril de 2013

Centro e Resgate de Animais em Situação de Risco será construído em Curitiba


Em reunião no dia 09 de abril de 2013, os gestores públicos da Rede de Proteção e Defesa dos Animais de Curitiba, ativistas e protetores da defesa dos animais e as organizações Sociedade Protetora dos Animais de Curitiba, Ecoforça Ambientalista, Movimento SOSBICHO, Associação do Amigo Animal, Associação Vida Animal – AVAN, IPAEC, Companhia das Pulgas, bem como representações de vereadores da Cidade de Curitiba e representante da ANCLIVEPA, aprovaram em consenso a continuidade do projeto para a construção do Centro de Resgate de Animais em Situação de Risco em Curitiba.

Este Centro, que faz parte do Projeto Executivo da Rede de Curitiba, que foi aprovado pelo Conselho Municipal de Proteção aos Animais e que é uma das demandas mais fortes dos defensores dos animais, tendo sido incluído nos compromissos do atual Prefeito Gustavo Fruet. Já tem um projeto arquitetônico pronto que deverá passar por adaptações para atender as necessidades definidas nas discussões que ora se atualizam e já tem até verba para iniciar suas obras, garantidas pelo governo anterior, no valor de R$850.000,00.

Hoje se sabe que esta verba não suficiente para toda a obra e sua instrumentalização para entrar em funcionamento plenamente, mas é suficiente para se fazer parte de sua implantação e começar a funcionar.

O segmento da defesa dos animais acredita e defende que este Centro deva receber animais atropelados, vítimas de maus tratos e em situação de risco, como, por exemplo, cadelas e gatas prenhas ou em trabalho de parto, ou em risco de vida. Deve também atender cavalos retirados das vias públicas, que deverão receber pronto atendimento e serem encaminhados para serviços especializados. Animais abandonados e resgatados, deverão ser recuperados e colocados em adoção ou reintegrados na sua localização de origem.
Estes animais receberão neste Centro, atendimentos emergenciais e de clínica geral, devendo os casos complexos, enquanto não de implementam estes serviços na área pública, serem atendidos pelas universidades da Cidade, em condição de convênios e parcerias.

Também se defende que possam estes centros, ao longo de sua implantação, serem utilizados como centros de esterilização de animais, com vistas ao controle ético reprodutivo e ao bem estar dos animais, bem como para se propiciar um convívio saudável entre animais e seres humanos.

Defende o segmento que este Centro possa vir a servir de espaço educativo, onde se possa desenvolver atividades culturais e eventos de adoções de animais, estes, já previstos quando da concepção do Centro.

Assim, sempre na linha de construção de uma política plena e sistêmica para a defesa dos direitos dos animais, pautada em princípios éticos e morais de respeito à vida, aqueles que defendem os animais acreditam: no respeito à história que se vem construindo em Curitiba, como uma cidade que respeita os animais, bem como, o respeito às decisões da sociedade civil organizada.

Vivemos numa democracia participativa e é assim que se propõe a fazer o atual Prefeito Gustavo Fruet.
Que estes princípios possam pautar e serem incorporados pelos seus atuais gestores.

Movimento SOSBICHO de Proteção Animal, 13.04.2013


Os desafios e os compromissos de Gustavo Fruet

29.10.2012

Jornal Gazeta do Povo

  • Criação do Fundo Municipal de Defesa e Proteção Animal;
  •  0,1% do orçamento para programas, projetos e campanhas de conscientização da proteção dos animais;
  •  Implantação de política pública de controle ético de populações de animais urbanos, por meio de programas permanentes, massivos e continuados de castração (esterilização cirúrgica) de cães e gatos;
  •  Incremento do programa municipal de registro geral de animais e propiciar o levantamento da população animal de cães, gatos e cavalos nas áreas urbanas;
  •  Execução do projeto já existente e não realizado do Centro Municipal de Atendimento a animais em situação de risco;
  •  Criação do Selo Amigos dos Animais para estabelecimentos comerciais da área, clínicas veterinárias, veterinários autônomos, entre outros, que atuem em parceria com os objetivos da Prefeitura Municipal, com contrapartida de incentivo fiscal do município;
  •  Implantação de unidades móveis de atendimento veterinário nas regionais da Prefeitura de Curitiba;
  •  Reformulação do Conselho Municipal de Proteção aos Animais (Comupa), para recepção e subsídios para projetos específicos da área, desenvolvidos por entidades do setor.

Um comentário:

  1. repito que NADA DISSO FOI DECIDIDO na reunião dirigida pelo diretor da Rede de Proteção Animal, Alexander Welker Biondo, no último dia 9 … a verdade é que descobriu-se que existe apenas um projeto arquitetônico e a verba de 850mil, nada mais, e portanto foi adiada a votação para a criação deste centro, para que se possa definir exatamente em que moldes ele deverá ser criado, SE for criado
    não entendo pq o Movimento Sos Bicho insiste em passar essas informações como DECIDIDAS e APROVADAS se foram somente AVENTADAS, inclusive foi lavrada ata da reunião que comprova o que estou dizendo

    ResponderExcluir