segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Litoral do Paraná: maus tratos aos animais é apenas um dos problemas


Lindo Pontal do Sul !
 Pontal do Sul, balneário do litoral do Paraná, pertencente ao Município de Pontal do Paraná, ainda mantém belezas que merecem ser conhecidas.
Também sofre grandes ameaças, pela falta de políticas de educação ambiental entre moradores e veranistas, sem contar que não conta com política clara sobre meio ambiente, haja visto que muitas agressões ao seu ambiente natural vêm ocorrendo, invasões de áreas públicas e de peservação permanente, cortes de árvores e nenhuma política que proteja os animais com ações preventivas.
Incêncio provocado na restinga de Pontal do Sul: ação orquestrada ?

Áreas invadidas dentro da reserva
Este cenário vai ficando cada vez mais feio, quando se acrescem as ameaças relativas aos empreendimentos que se planejam relacionados a construção de porto, abertura de estradas, Pré-Sal, entre outros, que aparentemente significam "desenvolvimento", mas desconsideram a fragilidade do ecossistema local, que não tem carga de suporte para o que se projeta, nem há garantias quanto ao futuro da preservação daquele nicho ambiental ainda sustentável.
Assim, embora o município de Pontal do Paraná conte com um aterro sanitário, por exemplo, a população e os veranistas, pela falta de informação, não separam seu lixo. Os veranistas não sabem que há coleta seletiva e destinação adequada (várias associaciações e cooperativas recebem o material reciclável) segundo o fiscal de meio ambiente Vinícios. E misturam todo o lixo que produzem em suas casas ou na praia.
Poucos sabem que se trata de área de preservação permanente
Observa-se também claramente, que os moradores e veranistas desconhecem o meio ambiente natural que ainda existe em Pontal, como carinhosamente chamamos aquele local: não sabem que existe muito próximamente a mata atlântica, que há áreas de preservação de menguezais e restinga, fundamentais ao equilíbrio da vida.

ANIMAIS E MEIO AMBIENTE em Pontal do Sul - PR


Todos estes ecossistemas listados mantém nichos de vida muito ricos, como é o caso da restinga, que reúne muitas espécies animais e vegetais, e que sofrem a ação predatória de humanos e não humanos, como é o caso de incêndios colocados dentro da restinga e dos cães que adentram na restinga e matam pássaros e roedores.
Este seria um caso sério, se não tivéssemos outro mais sério: a absoluta falta de políticas públicas preventivas para os animais: cães, gatos e cavalos.
Por todo lado se pode observar, deixando mais feia ainda a nossa tão bela paisagem original, cães famintos e doentes, gatos adoecidos e abandonados, cavalos matratados e aos montes, sem contar a novidade: cabras e cabritos amontoados e pequenos espaços, para serem vendidos para consumo humano.
Não havendo política de esterilização de animais, de educação em guarda responsável, e mais, com a falta de responsabilidade dos tutores, tanto dos animais nativos dali, como dos veranistas que trazem seus cães para veranear com a familia, muitos cruzamentos ocorrem, muitos animais se perdem, e temos um cenário muito grave para os gestores, que têm uma postura de total indiferença ao problema.
Cavalos: virou moda ? pensamos que sim, pois Pontal do Sul está cheio de cavalos, que ficam expostos ao sol, amarrados (ou soltos !!!! perto da rodovia), sem água. Segundo a médica veterinária Marina Salgado, que atua há seis anos em Pontal, há muito maltrato a animais ocorrendo por ali. Tanto os deliberados, quer dizer, maltrato consciente, quanto por ignorância. Segundo ela, os cavalos devem merecer a atenção dos gestores. Outro problema maior que aponta, é a falta de controle de cruzamentos e os animais que têm acesso à rua, que cruzam, são agredidos, filhotes são mortos.

Vererinária Marina e Luisa, sua filha

Proterora e atendente Eliane
 Dra. Marina tem trabalhado no controle populacional de animais e no encaminhamento para adoção. Auxilia protetores que a procuram. Mas não pode ocupar o papel do estado, que tem que desenvolver suas políticas.
Sua atendente Eliane Martins, aprendeu com a Doutora Marina: tem que castrar e opina que deveria haver um controle quanto à quantidade de animais que as pessoas podem tutelar: "O que adianta se encher de animais se não tem condições de cuidar ?", pergunta Eliane.
Segundo Marina, é necessário uma campanha séria para castração de gatos, pois a cada quinze cães que castra, vem apenas um gato.
Crimes de abandono são frequentes e o mais grave: quando se procura a Delegacia de Polícia, não são ouvidos. Não se dá importância ao crime e se trata a questão como se fosse "um luxo" enquadrar o sujeito que maltra no artigo 32 da Lei dos Crime Ambientais.
Assim, vivemos no litoral (Pontal é retrato dos outros balneários e municípios da região) o que já conhecemos por aqui: completo abandono quando se trata de políticas de defesa dos animais.
No entanto, lá também tem eleição para prefeito e vereador: vamos escolher candidatos que venham com propostas para a defesa dos animais. Vamos escolher candidatos com verdadeiras propostas de preservação de  meio ambiente, que dizer, da vida.
Pontal do Sul é lindo: mas com estes problemas, fica muito feio !

5 comentários:

  1. Estou morando em Matinhos há apenas seis meses, porém tão logo cheguei aqui percebi muitis desses problemas e que ao longo da estrada para o Pontal se agravam... Não há estratégia ou plano ambiental que eu tenha notado... Centro de controle de zoonoses ou um mapa de riscos epidemiológicos... Vejo somente abandono... E muito embora eu resida em uma dita área nobre não sei ao certi como agir com relação aos resíduos, jah que os separo, mas n há lixeiras aproriadas... Os catadores q dependem destes resíduos passam pela minha rua e deixam à mostra o resíduo orgânico de quem n separa... Jah pensei em projetos e planos de ação, mas, simplesmente n sei a quem recorrer... Muito diferente da realidade do meu lugar de origem... Quero morar aqui e poder fazer algo... Soh n sei a quem procurar, jah q ateh me voluntariei para um órgão, mas... Paciência... Vamos permanecer na ignorância e ver as comunidades e a natureza se afundando...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para recolher lixo reciclavel ligue para o meio ambiente de matinhos, eles vão em casa. Eu sempre ligo a cada 15 dias fone é
      39 71 61 56

      Excluir
  2. Estive em Pontal do Paraná (Balneáreo Pontal do Sul) no dia 6 de março de 2014 e presensiei uma cena cruel de abandono e descaso com uma cadela e seus filhotes que foram abandonados pelo seu dono (a) em uma casa que fica ao lado do estacionamento do Pedro. Segundo o Sr. Pedro dono do estacionamento o dono (a) da casa mudou-se e deixou a cadela com os seus filhotes abandonados. O portão da casa é feito com grades abertas onde os filhotes entram e saem para a rua correndo risco de serem atropelados, sendo que um deles ja foi. A dois quarteirões da li é o atracadouro de barcos para as praias de Ilha do Mel, Encantadas, Brasília e Fortaleza, praias tão bonitas perto de uma cidade com tanto descaso. Moro em SP e estava fazendo turismo, infelizmente não tive como ir em delegacias e em outros órgãos. Há muita burocrácia quando o caso é maus tratos aos animais, é necessário muitas provas para a veracidade dos fatos e as vezes não é feito nada.

    ResponderExcluir
  3. Estou precisando de ajuda, não sei como proceder em uma situação dessas! Um vizinho de frente á minha casa tem um filho de dezessete anos que quando fica sozinho em casa maltrata dois cachorros seus, sufocando, batendo na cara, dando pauladas perto dos animais para eles se entimidarem! Dá dó de ouvir, porque os bichinhos choram e começam a latir, parecendo que estão pedindo socorro!!!! Oque devo fazer numa situação dessas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Silmara chama a polícia militar na hora que você escutar os maus tratos, ou grave um audio e leve até a delegacia.
      É necessário ter provas para haver providências.

      Excluir