quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Movimento SOSBICHO no VegFest - IV Congresso Vegetariano


Movimento SOSBICHO marca presença no VEGFEST com duas representantes: Veterinária Carmen Brauninguer e com a Educadora Ambiental Laelia Tonhozi.

Marcaram o dia três momentos bem diferentes entre si, entretanto, cada um trazendo mensagens e aprendizados para nossa formação e fortalecimeto de convicções.

O primeiro registro para boas gargalhadas, do ativista-cozinheiro Flavio Giusti, apresentador do programa Vegetari Rango, que de forma bem descontraída mostra a forma como educa para o vegetarianismo.




Laelia Tonhozi e Flavio Giusti

O segundo momento, foi marcado pela presença de ilustres convidadas que vieram falar sobre seu papel como formadoras de opinião: Tânia Alves (atriz, professora de Yoga, entre outras atividades), Ellen Jabour (atriz, apresentadora, modelo) e Iara Maggioni (jornalista).
Cada uma relata sua experiência da adoção do vegetarinismo como um modo de vida, e não apenas como uma hábito alimentar.

Ricardo (SVB-Curitiba), Tania Alves, Ellen Jabour e Iara Maggioni

De Tânia Alves registramos uma frase muito legal: "Nossas escolhas afetam todo o planeta".

De Ellen Jabour, que de auto-denomina "Ecovegetariana" :"Quando você vira vegetariano tudo muda na sua cabeça". Legal, é isto mesmo. Porque as coisas não passam só pelo estômago, passam por todas as nossas outras escolhas. Tomamo consciência e depois que esta porta se abriu e você já viu, como diz ela, referindo-se às crueldades cometidas contra os animais, "como é que você vai continuar fazendo isto ?", completa.

Já a jornalista Iara Maggioni, que se tornou vegetariana há pouco mais de um ano, ouvimos um relato muito sincero e racional sobre sua decisão: "Tornei-me vegetariana pelo animais e por uma razão políticas: o consumo de carne está atrelado ao grande consumo e à grande produção e esta, está trlada à bancada ruralista e aos grandes produtores de carne." Diz também que todos somos formadores de opinião: em nossas casas, entre nossos amigos.

Terceiro momento, com  Tiago Barreto: "Uma análise da objetivação humana e animal nas organizações: impedimentos e potencialidades para uma ética biocêntrica". Nome comprido tinha esta palestra. Mas aprendemos bastante.
Tiago, de formação na área de administração traz conceitos importantes e uma tese inovadora: afirma que a "Ética Organizacional" - que tem como rpincípio o lucro e que se rege pela lógica de mercado, privatiza os resultados e socializa os custos ! Mas a novidade que defende é que esta ética que vem sendo a cartilha das organizações é uma regressão do modelo mais conservador de ética que conhecemos, a antropocêntrica (aquela que tem como centro  os seres humanos com a posse da razão), já que seres humanos são categorizados, explorados, não merecem a mesma consideração moral, são explorados. Isto tudo pelo benefício de uns poucos - que instrumentalizam a vida dos outros. E o pior, fazem com que esta lógica contamine todas as outras relações, familiares, amigos, etc.
Lógica de mercado e da exploração
Aponta possibilidades para a quebra desta lógica, entre as quais, os questionamento das relações de poder, economias baseadas na solidariedade, reintrodução da emoção nas relações em detrimento da racionalização de processos e questinamento dos produtos  e seus fins.

Dormir cedo porque amanhã tem mais !!!!!!

Laelia Tonhozi

Um comentário:

  1. Bacana o Congresso e muito legal o jeito como você escreveu, Laelia.

    ResponderExcluir